Um blog feito para noivas, esposas e mães reais como eu!

6 de janeiro de 2011

O Casamento em diferentes religiões


O casamento é uma celebração realizada desde 900 anos antes de Cristo, sendo o primeiro registro no Egito. Esse ritual tão antigo continua valendo até hoje, e até os casais super modernos, sem importar a que religião pertence, não deixam de realizar a cerimônia para abençoar a união. Cada religião possui os seus próprios rituais e suas particularidades, saiba um pouco sobre algumas delas:

Católica
A religião católica é a predominante no nosso país e considera o matrimônio como um sacramento, reconhecido como uma graça de Deus. A cerimônia é normalmente realizada em igrejas, mas é possível obter uma autorização para a realização da cerimônia em outro local. Os noivos precisam ser batizados na igreja católica e devem fazer um curso preparatório para casamentos na igreja católica. A liturgia pode compreender dois rituais: a missa e o casamento, ou apenas o ritual do casamento. A data e o ritual escolhidos são marcados na igreja mediante a apresentação dos documentos requeridos pela Cúria Diocesana. A cerimônia consiste, essencialmente, em três etapas: a entrada do cortejo pela nave, a liturgia, a saída dos participantes. As orações têm algumas partes tradicionais, mas o ritual romano permite uma grande liberdade de adaptação, complementação e acréscimos à liturgia do matrimônio.

Ortodoxa
A Igreja ortodoxa vem de uma dissidência da Igreja Católica Apostólica Romana é dominante nos países da Europa Oriental, especialmente entre gregos, árabes, russos e eslavos. Para a igreja ortodoxa, tal como na católica, o matrimônio é um sacramento. A simples presença dos noivos dispensa o sim no altar. A cerimônia é realizada de acordo com o antigo rito bizantino, e é cantada em grande parte do tempo. Os noivos são coroados como reis em seu próprio reino que é o lar e que deverão governar com sabedoria. Em seguida, vem a leitura da epístola, do evangelho e a oração do pai nosso.
Finalmente, recebem a bênção final, beijando o evangelho.

Hindu
No ritual hindu a noiva deve oferecer mel e iogurte ao marido, que significa pureza e doçura, depois os noivos se presenteiam com colares. Na cerimônia o pai da noiva a entrega oficialmente ao marido, assim é realizada a troca dos anéis. A cerimônia prossegue com muita festa e também com a purificação do ambiente com alguns óleos e essências.

Judaica
A cerimônia judaica de casamento é celebrada sob a "hupá", uma tenda matrimonial, que acolhe os noivos no momento de sua união perante Deus. Representa simbolicamente o novo lar que está prestes a ser construído, onde o casal deverá viver segundo os mandamentos da lei judaica, mantendo as tradições milenares do seu povo. o noiva e a noivo devem ser judeus. Não são realizadas cerimônias aos sábados ou nas datas religiosas. Parte integrante da cerimônia é a leitura do "Ketubah", o contrato matrimonial que estipula as responsabilidades mútuas entre marido e mulher. O documento é assinado pelo noivo e duas testemunhas, antes do início da cerimônia. Nas sinagogas liberais, também a noiva assina a Ketubah. Também dignas de menção são as duas taças de vinho, das quais bebem ambos os noivos durante a cerimônia. Uma interpretação é que as duas taças simbolizam a alegria e a tristeza que o casal encontrará ao longo da vida matrimonial.



Protestante
As cerimônias protestantes seguem toda a discrição que é comum aos praticantes desta religião. O matrimônio protestante é celebrado pelo pastor, e a cerimônia é repleta de muita música, preces e leituras. A cerimônia protestante permite apenas um casal de padrinhos. À madrinha compete segurar o buquê da noiva e o padrinho é responsável a entregar as alianças ao pastor para as bênçãos. No primeiro banco, logo atrás dos noivos, ficam os padrinhos e o pai da noiva assim que ele a entrega no altar.


Presbiteriano
A habilitação para o casamento religioso na Igreja Presbiteriana é semelhante à da Igreja Católica. Contudo, existem alguns detalhes importantes: não há cursos para os noivos. O pastor realiza uma entrevista prévia com o casal, para sentir o grau da maturidade e responsabilidade de ambos em relação ao compromisso que irão assumir. Espera-se que exista um sentimento de fé e confiança em Deus, mas não é obrigatório professar a religião Presbiteriana. Os noivos podem inclusive, seguir religiões diferentes. O casamento de divorciados é permitido, desde que a documentação comprove estar a situação legal e devidamente concluída. A ornamentação, a música e o local da cerimônia religiosa, ficam a critério dos noivos, entregues ao seu bom gosto. Os noivos podem optar em fazer o casamento civil e religioso na mesma ocasião.

  Grego
 Esta celebração é conhecida no mundo inteiro, inclusive, já foi tema até de filme. Ele é famoso pela quebra de pratos enquanto dançam no término da cerimônia, jogam dinheiro e também é farto de alimentos deliciosos. Tradicionalmente, os gregos são unidos e a comemoração do casamento deve ser feita em grande estilo. A quebra de pratos faz parte do ritual há muitos anos, e esse ritual demonstra que todos os objetos materiais não importam mais a partir do momento que acontece o enlace matrimonial que une o casal.





Muçulmano:
Diferentemente das outras celebrações, o casamento muçulmano não é considerado um sacramento, mas sim um acordo legal onde cada parte é livre para incluir suas condições. Os rituais mudam de acordo com cada país, mas segundo o islã nenhuma mulher pode ser forçada a casar, porém seus pais podem sugerir um pretendente que seja conveniente. A partir do momento em que um jovem muçulmano deseja se casar, a cultura costuma aproximar as pessoas que tenham algo em comum e que de repente podem formar uma bela união. E também, o casamento muçulmano deve conter uma recepção simples e conforme a situação financeira dos noivos. Durante a festa, não poderá ser servido nenhum tipo de alimento proibido pela religião, bebidas alcoólicas não são bem-vindas e as danças também não são vistas com bons olhos. Os noivos que efetuarão uma cerimônia de casamento muçulmana precisam ter em mente que este é um momento único de alegria, mas também de refletir e pedir para Allah lhe conceder uma bênção pela realização do matrimônio.


 Casamento Budista:
Cada corrente budista tem rituais específicos para o casamento, que tem por objetivo a evolução espiritual dos noivos. Na tradição Zen Budista, por exemplo, há o ritual conhecido como san-san-kudo, em que são servidos aos noivos três cálices de saquê. Ao dividir o mesmo cálice, acredita-se que o homem e a mulher estão finalmente unidos.





Imagens: Google

Um comentário: